sábado, 5 de janeiro de 2013

Às escâncaras

Deixei porta e janelas bem abertas
Pois queria viesse a brisa calma
Que penetra para aliviar a alma
E sai levando as dores mais secretas

Descobertas debaixo das cobertas
Das carícias de amor que nos acalma
Tua palma da mão em minha palma
E as ruas lá fora mais desertas

Que viesse, portanto, a ventania
Me trazendo um bocado de alegria
Acalmando essas dores do meu peito

Mas, o frio da noite mais escura
Deixa a seca na boca e essa secura
Não se mata, assim, de qualquer jeito

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...