quinta-feira, 23 de maio de 2013

No terreiro da casa do meu peito Nasce um pé de saudade todo dia

Construí um castelo de saudade
Onde antes havia uma morada
Quando sento à tardinha na calçada
Uma angústia profunda me invade
Na lembrança me perco na metade
Do passeio do vão da alegria
Certas vezes percebo que Maria
Tá presente na casa de algum jeito
No terreiro da casa do meu peito
Nasce um pé de saudade todo dia

Pedro Torres
Mote: Felisardo Moura Nunes
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...