domingo, 14 de abril de 2013

Pra não morrer de saudade Tomo um gole de poesia

No mote (invertido) de Giselle Perazzo Valadares, conterrânea de São José do Egito eu tentei assim:

Trago dessa susbstância
Sem ter contraindicação
Cada dose é uma porção
Pra garganta da minha ânsia
Foi a voz dessa distância
Que calou minha alegria
Mas, ouço ao longe a cantoria
Dos poetas da cidade
Pra não morrer de saudade
Tomo um gole de poesia

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...