quinta-feira, 11 de abril de 2013

Digo não, vá embora e, por favor, Guarde 'sua pena que dela eu não preciso.

Nessa luta de amores desleais
Que alguém chora prum outro ficar rindo
Mais alguém sempre acaba se ferindo
Por ser guerra de amores desiguais...
E a justiça do amor tarda, até demais
Mas, acerta a sentença pro indeciso
E se alguém se apressar nesse juízo
De julgar-me nas causas do amor
Digo não, vá embora e, por favor,
Guarde a pena que dela eu não preciso.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...