terça-feira, 2 de abril de 2013

Cachaça no organismo É necessário demais

Quando a saudade lateja
No peito de um penitente
Bate forte e renitente
Nada dá jeito a peleja...
Que quando o olhar mareja
Nada lhe devolve a paz
Nesses dias desiguais
Não tem outro mecanismo
Cachaça no organismo
É necessário demais

Até mesmo o ateu profundo
Sentindo a dor da saudade
Parece que a fé lhe invade
Vira o maior fiel do mundo
Seu coração vagabundo
Que outro culto não faz
Sentindo-se ineficaz
Se acaba seu ceticismo
Cachaça no organismo
É necessário demais

Pedro Torres
Mote: Poeta Manoel Filó
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...