domingo, 28 de abril de 2013

A saudade chegou quebrando a porta Que eu tranquei com a chave da razão.

A tristeza quebrou minha janela
No meu peito ficaram estilhaços
Eu não sei como junto esses pedaços
Que a saudade deixou como sequela
No espelho escrevi o nome dela
Com a tinta que fiz da solidão
E os pedaços quebrados pelo chão
São da alma que hoje eu vejo morta
A saudade chegou quebrando a porta
Que eu tranquei com a chave da razão.

Henrique Brandão

Quem promete e não cumpre, sobretudo
Perde logo o respeito e a moral
Faz da honra uma coisa tão banal
Que o melhor a fazer é ficar mudo
Toda vez que eu prometo me iludo
E com isso cheguei a conclusão
Que é perdido engananar o coraçâo
Porque peito que ama não suporta
A saudade chegou quebrando a porta
Que eu tranquei com a chave da razão.

Cicinho Moura.

Um silêncio que nós não decidimos
Pois, você decidiu sem ter diálogo
Como fosse um produto de um catálogo
Que compramos, mas não usufruímos
Do castelo de amor que construímos
Cada pedra sustenta um coração
E nos perdemos, na fraca atuação
Dessa ausência que tanto desconforta
A saudade chegou quebrando a porta
Que eu tranquei com a chave da razão.

Pedro Torres

Mote: Pedro Torres Filho e Esdras Galvão
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...