segunda-feira, 18 de março de 2013

Velho Chico emana Poesia Na Ribeira do nosso Coração.

Velho Chico maestro principal
Da orquestra sinfônica do repente
Deus mandou transbordar da sua mente
Poesia como um manancial
E um monstro do nosso recital
Na pronúncia e na interpretação
Não existe para a declamação
Outro vate com sua maestria:
Velho Chico emana Poesia
Na ribeira do nosso coração.

Quem não viu Velho Chico inspirado
Entonar sua voz como num hino
Declamar "Presepada de Menino"
E depois recitar "Abilolado"
Quem não riu logo após ter escutado
O poema da "Briga em Procissão"
Tudo isso nasceu da inspiração
Foi a mente de Chico que deu cria:
Velho Chico emana Poesia 
Na Ribeira do nosso Coração.

O Nordeste é feliz porque dispõe
De dois "Chicos" que lhe dão alegria
Um com água e outro com poesia
Um que irriga e outro que compõe
O de água nos banha e nos propõe
De exigir a sua preservação
O de versos nos dar a sensação
Que a vida nasceu da cantoria:
Velho Chico emana Poesia
Na Ribeira do nosso Coração.

Deus mandou muitos Chicos pioneiros
O de Assis é um santo universal
Chico Mendes viveu no seringal
E morreu defendendo os seringueiros
O Pedrosa defende os violeiros
E declama as paisagens do sertão
Tem um Santo, um Herói e um Irmão
Promotor da cultura da alegria.
Velho Chico emana Poesia 
Na Ribeira do nosso Coração.

Paraíba gerou e deu ao mundo
Um poeta de alta qualidade
Que compôs "Uma Tarde de Saudade"
E narrou as façanhas de "Raimundo"
Quando versa se poe meio corcundo
Esfregando uma mão na outra mão
Faz o corpo virar a expressão
Dos poemas que a boca pronuncia:
Velho Chico emana Poesia
Na Ribeira do nosso Coração.

Brás, num mote que me deram ha alguns anos atrás para homenagear o mestre Chico Pedrosa.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...