segunda-feira, 4 de março de 2013

Um poema pra esse tempo frio.

Nos queixamos da dor que faz saudade
Quando alguém que amamos fica ausente
Mal, sabemos porém que o outro sente
Desse tanto de amor, outra metade
Percebemos a bem dessa verdade
Que causamos somente adiamento
Pois, moramos em cada pensamento
Ocorridos durante a nossa ausência
Hoje eu digo melhor da experiência
De viver um imenso sentimento.

Duvidamos de nós, de toda a jura
Discutidas em tom acalorado
Mas, é tempo perdido o magoado
Que a saudade ingressa na mistura
E a receita de amor sai bem mais pura
Na fornada mais quente e sem defeito
Que peleja, peleja, e é sem jeito
Quem nos ama a gente não esquece
Que o amor verdadeiro se aquece
No fogão de amor que há no peito

Em um dia de chuva bem friinha
Um abraço fez falta na lembrança
Mas, a cor mais bonita da esperança
Fez a gente cantar uma 'Modinha'
Que a saudade é recente e, advinha?!
Se aninhou outra vez em nosso leito
Fez morada da casa do sujeito
Nosso amor novamente se aqueceu
E a saudade mais linda adormeceu
No colchão de amor que há no peito

Pedro Torres

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...