terça-feira, 5 de março de 2013

Ter você já virou necessidade

Ter você já virou necessidade
O Meu corpo não passa sem o seu
Nem o seu sobrevive sem o meu
Entre nós não existe falsidade

Já tentei lhe deixar, mas quem sou eu
Pra dizer que vivemos de amizade
Nossa história de amor nunca morreu
Negar isso pra o mundo é vaidade

Sem você eu não sei se me acostumo
O que digo com raiva não assumo
Me arrependo depois e volto atrás

Onde existe o Amor infelizmente
Você xinga, machuca mas desmente
É fazendo e dizendo que não faz

Adalberto de Vital.

2 comentários:

Direito à Réplica Poética...