terça-feira, 12 de março de 2013

Recife,

Dulcíssima Recife, madrasta amada,
Mãe dos filhos ausentes do sertão
Tu me deste morar neste teu chão
Longe da terra minha, ensolarada

Perdoa-me Recife, minha ingratidão
Reconheço o calor, mãe, adorada
Que me deste durante a minha estada
É coisa de poeta, liga não...

Sabes bem, que o bom filho à casa torna
E me acolheste nesta tua sala morna
Mas, crescido, teu filho criou asa

Andei feliz por estas tuas ruas
E é com saudades destas ruas tuas
Que me despeço, vou voltar pra casa.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...