terça-feira, 26 de março de 2013

Quer saber quanto custa uma saudade? Tenha amor, queira bem e viva ausente!

No mote que foi dado aos poetas Zé Limeira e Antonio Barbosa eu tentei e saiu assim:

Tomar chá de uma raspa de urtiga
Perder tempo tentando se esquecer
Sentir frio sem ter como se aquecer
Pela falta que sente de uma 'amiga'
E a paixão derradeira e mais antiga
Que não vive conosco no presente
E as lembranças que passam pela mente
São torturas da vil realidade
Quer saber quanto custa uma saudade?
Tenha amor, queira bem e viva ausente!

Uma surra bem dada de cipó
Bem fornido um jucá bem descascado
No espinhaço de um ser abandonado
Que a distância gostou de deixar só
Na garganta, quem pena sente um nó
Que não sai, não desata facilmente
Madrugadas sentindo dor num dente
Que não existe, não é bem de verdade
Quer saber quanto custa uma saudade?
Tenha amor, queira bem e viva ausente!

Um sorriso singelo, uma alegria
Um afago, um carinho de manhã
Com um beijo sabor de hortelã
Numa tarde de plena invernia
Um abraço com toda fantasia
E um calor no olhar muito mais quente
Um naufrágio sem ter sobrevivente
Num oceano com ondas de vontade
Quer saber quanto custa uma saudade?
Tenha amor, queira bem e viva ausente!

Almoçar, mas, sem nem sentir o gosto
Ficar noites inteiras sem dormir
Dessa angústia que dá no refletir
Do espelho de lágrimas do rosto.
Uma mágoa no peito, que o desgosto
Deixa até sem sorriso o penitente
Uma dose de pinga no batente
No oitão de um bar, pela metade
Quer saber quanto custa uma saudade?
Tenha amor, queira bem e viva ausente!

Dez carinhos no ponto bem passado
Duas partes de amor e de ternura
Confiança na dose bem mais pura
Tudo junto no abraço misturado
Nos cabelos por dedos penteado
Cafuné que se assanha sem ter pente
Meia dúzia de beijos, muito ardente
E ‘descanse’ depois toda a vontade...
Quer saber quanto custa uma saudade
Tenha amor, queira bem e viva ausente!

No vazio da minha solidão
Só o frio da chuva que me envolve
Sem teu abraço tão terno que comove
Sinto um gelo pedrar meu coração
E nas batidas da minha pulsação
Sinto falta do teu calor mais quente
Teu olhar 'pro meu lado' diferente
Que calado me fala uma verdade...
"Quer saber quanto custa uma saudade
Tenha amor, queira bem e viva ausente!"

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...