sábado, 9 de março de 2013

Não prometo pra nós final feliz Pois, não quero sequer que tenha fim

Combinamos demais os nossos traços
Pois, nós temos incrível sintonia
Já prevejo pra nós só alegrias
Quando atarmos de vez os nossos laços
Morreríamos de amor e de abraços
Renascendo depois, e sempre assim
Pelos beijos doados, o estopim
Nosso START do amor pelos quadris
"Não prometo pra nós final feliz
Pois, não quero sequer que tenha fim"

Todo brilho da peça que ensaiamos
No cenário de luzes colorido
Nosso filme de amor foi exibido
Pelas cenas reais que interpretamos
Na quentura do abraço que trocamos
Do calor que inda arde junto a mim
Como fosse o produto de um jardim
Cuja flor se cultiva na raiz
"Não prometo pra nós final feliz
Pois, não quero sequer que tenha fim"

Pedro Torres, mote e glosas.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...