domingo, 10 de março de 2013

Compostagem de sonhos

Já bebi tantos goles de amargura
De saudade inclemente que amarga
Que ficou bem pesada a minha carga
Pois, cavei pra mim mesmo a sepultura

Nessa cova de minha desventura
Preservei nosso amor lhe fiz a parga
E na cama de sonhos muito larga
Pus, as dores dos dias de tristura

No calor do momento da 'dormida'
Na esperança do amor ser aquecida
Vi surgida uma flor pro meu risonho

Se estes sonhos de amor hoje fenecem
No decanto dos sonhos que adormecem
Reservei pra nós dois o melhor sonho

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...