terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Tive a última gota de saudade Derramada nos braços do meu bem.

Mote da Poetisa Erivonelde Amaral

Se a Saudade feriu-me brutalmente
E no peito deixou-me uma ferida
Foi você que saiu da minha vida
Mas ficou tatuado em minha mente.
Pedi sorte ao Deus onipotente
Só pra ter novamente esse alguém
Procurei de maneiras mais de cem
Pra de vez eu matar minha vontade
Tive a última gota de saudade
Derramada nos braços do meu bem.

Erivoneide Amaral

Foi-se embora o tempo da alegria
De nós dois declamando em mesmo tom
Do chamego, abraços, e aquilo bom
Na medida perfeita que cabia.
Dos pronomes só nossos da poesia
Que não há neste mundo mais ninguém
Pra dizer-me que a lágrima se retém
Eu buscando 'o que é minha metade'...
Tive a última gota de saudade
Derramada nos braços do meu bem.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...