terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

É a saudade que bate machucando Bem aqui no fundo do meu peito

Inspirado na frase publicada pela amiga Letícia Vieira, um mote quase pronto eu fiz:

De repente a tristeza nos abraça
Uma angústia do peito toma conta
Que o relógio parece faz afronta
No ponteiro da dor e da desgraça.
Passa as horas do dia, só não passa
Essa dor machucando nosso peito
Desconfio que esse troço deu defeito
Para as horas tão lentas ir passando
É a saudade que bate machucando
Bem aqui no fundo do meu peito 

Pedro Torres

2 comentários:

  1. Talvez a saudade que não se cumpra em matar
    pare sim quem sabe, um segundo o coração
    Um respiro imaginando a chegada
    Daquele(a) que insisti em não chegar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa teimosia é típica dos grandes amores. Grandes amores são teimosos. rs

      Cheiro

      Excluir

Direito à Réplica Poética...