quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Vendi meu vilão

Teus olhos úmidos, e um violão
Na essência pura e inviolável
Da poesia, dor casta do coração
Tristeza púrpura e indecifrável...

Este é o teu companheiro à solidão,
Das emoções todas tuas, inseparável...
Um olhar tristonho, com que razão
Fitas a tua estrela admirável...

Eu me apartei do meu velho amigo
Já não escuto o seu sonoro abrigo
Falar por mim por seus gemidos..

Mais por precisão, que por descuido,
O vendi, e já não sinto o trinar fluido
Das suas cordas em tons sustenidos

Pedro Torres

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...