segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Que o amor mais bonito que vivi Já nasceu programado pra morrer

Se pudesses agora ver meu rosto
Com a lágrima descendo pela face
Desse verso de amor que ora nasce
Sentirias quem sabe o mesmo gosto
Deste sal que salga o meu desgosto
Como fosse o querer não mais querer
Por tentar, e tentar lhe esquecer
Que eu quis esquecer mas esqueci
Que o amor mais bonito que vivi
Já nasceu programado pra morrer

Pedro Torres

Nossas horas contadas todo instante
Não deixava passar nenhum segundo
Eu pedia pra Deus e para um mundo
Me da mais desse tempo que é restante
Sou mulher sou esposa sou amante
Tantos planos contigo sonho em ter
Mas não guento todo esse meu sofrer
Em saber que um dia te perdi
Que o amor mais bonito que vivi
Já nasceu programado pra morrer.

Dayane Rocha

A este amor eu fui tao dedicada
Fantasiei de mais meu coração
Criei no pensamento ilusão
E a tal me deixou abandonada
Me feriu me deixou amargurada
E fez esse amor por si esmorecer
Me fazendo cada dia perceber
Que é verdade que eu já te perdi
Que o amor mais bonito que vivi
Já nasceu programado pra morrer

Debora Carvalho

Preta, quando deixaste nossa casa
Pra viver por aí, perambulando,
Tudo quanto era estável, ameno e brando
Mudou pra temporal que tudo arrasa.
Do que foi noutro tempo fogo e brasa
Só a cinza hoje resta. E pra esquecer
Fiz promessa, hipnose e fiz saber
A quem quis que do amor, eu desisti,
Que o amor mais bonito que eu vivi
Já nasceu programado pra morrer.

Bel Valentim
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...