quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Quando eu morrer, tu Saudade Vais ter saudades de mim.

Minha eterna companheira
Fiel nas noites escuras
O sabor nas amarguras
Dessa vida estradeira
Esperança derradeira
Flor mais linda do jardim
Mas, meu anjo querubim
Eu te digo, sem vaidade,
Quando eu morrer, tu Saudade
Vais ter saudades de mim.*

Pedro Torres

Mote modificado do Poeta Raimundo Asfora.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...