sábado, 5 de janeiro de 2013

Pus no mar do esquecimento as coisas do meu passado.

No mote do poeta Silvano Lyra Mauricea:

Joguei um amor no lixo
Pois, estava estragado
Eu andava amargurado
Por causa de um capricho
E deletei o prefixo
Do telefone anotado
Não quero nenhum recado
Que fale do sentimento
Pus no mar do esquecimento
As coisas do meu passado.

Não guardo tranco em lombada
Mágoa, rancor, ou ciúme
Como frasco de perfume
Vazio, não serve de nada
Nem amor só de fachada
Que só vinga em feriado
E quando fica afastado
Só nos causa sofrimento
Pus no mar do esquecimento
As coisas do meu passado.

Pedro Torres

2 comentários:

  1. Parabéns poeta.
    Já está no cordel de ano novo.
    www.poetizante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Valeu poeta, adicionei o blog aos favoritos do decantodepoetas!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir

Direito à Réplica Poética...