sábado, 5 de janeiro de 2013

Poesia que veste a alma faz Do poeta um exímio costureiro

No mote do poeta Silvano Lyra Mauricea eu fiz:

A costura da rima no repente
Tece n'alma o puro sentimento
Estes versos nascidos do momento
Sintetizam o que poeta sente
Sai cosendo o sensível pela mente
Na fazenda inconsútil do meeiro
Numa linha de traço verdadeiro
O poema costurado se perfaz
Poesia que veste a alma faz
Do poeta um exímio costureiro

Alfaiate de versos bem preciso
Do poema o poeta tece o fio
A agulha trabalhando no feitio
Duma teia intricada d'improviso
Junta as dores e dela faz o riso
Compra pano pra manga sem dinheiro
E trabalha na roda o dia inteiro
Que nenhuma outra moda lhe apraz
Poesia que veste a alma faz
Do poeta um exímio costureiro

Pedro Torres

No estoque de panos e costuras
Onde as linhas também já fazem parte
Costurando por dentro nossa arte
Etiqueta das roupas são culturas
O botão que é pregado das agulhas
Foi usado também pelo um guerreiro
Eu dei força a Davi tão verdadeiro
Derrubar até mesmo o satanás
Poesia que veste a alma faz 
Do poeta um exímio costureiro

Dayane Rocha
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...