sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Esse vírus em mim já não tem cura A doença que tenho é a saudade.

Resolvi visitar um bom doutor
Pra saber o que tá acontecendo
Eu sentindo uma parte já morrendo
E a outra igual a uma flor...
Onde as pétalas caindo, já sem cor
O seu caule sem vida sem vontade
Eu não sei se é maligno ou tem “bondade”
Os remédios não servem na “mistura”
Esse vírus em mim já não tem cura
A doença que tenho é a saudade.

O doutor afirmou com a certeza
Que esse vírus se expande bem ligeiro
Que não tem injeção e nem dinheiro
Que transforme de novo essa beleza
Não possui nenhum ser com a riqueza
Pra sair dessa sua enfermidade
Nosso corpo todinho ela invade
E causando na gente uma frescura
Esse vírus em mim já não tem cura
A doença que tenho é a saudade.

Os sintomas são sempre repentino
Febre alta, um vazio no coração
Uma angústia uma triste solidão
Já não sei qual será o meu destino
Não consigo entoar meu próprio hino
Causa assim uma grande crueldade
Eu queria um pouquinho de piedade
Mas a vida não deu outra abertura
Esse vírus em mim já não tem cura
A doença que tenho é a saudade.

Dayane Rocha
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...