segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

É o chicote do verso a lapear

O 'azideia' de Jessier Quirino que o Poeta Esdras Galvão passa pra nós. kk

"É o chicote do verso a lapear"

Poeta Jessier Quirino... E a gente brincou:

Vou tocando no verso a boiada
No tangido de rimas sem contê-las
Dois bois brancos mugidos de estrelas
E na métrica vou dando ferroada
Com ferrão que tem ponta afiada
E cantando na estrada do rimar
Cantador que quiser me atrapalhar
Leva pau na moleira pra aprender
Que a lapada no lombo a lhe doer
É o chicote do verso a lapear

Pedro Torres

O duelo do verso é arriscado
Mas é bom apanhar na poesia
Essa surra não dói mas contagia
Haja vista eu já ser acostumado
Quem duela comigo é preparado
E eu devo também me preparar
Quando pego na arma pra atirar
Já vejo ele com o dedo no gatilho
O poeta Pedro Torres Filho
É o chicote do verso a lapear.

Cicinho Moura

Nessa lida de verso e de repente
Vai tangendo com força de garrote
Desamarra a rodilha de um pote
Carregado duma água muito quente
Se o rescaldo dessa rima diferente
Lhe fizer de su'a canga se soltar
Na forquilha logo voltas pro lugar
Que tangendo essa junta vai Cicinho
E o barulho que escutas miudinho
É o chicote do verso a lapear

Pedro Torres

Eu preciso sair não volto cedo
Que a lapada do verso é muito quente
O rojão desse estilo é diferente
E o poeta mais fraco sente medo
Esse Pedro é poeta e tem segredo
E tá muito difícil desvendar
Eu também não desejo cutucar
É melhor preservar o pé-do-ouvido
Do que ter que sair daqui corrido
Com o chicote do verso a lapear

Cicinho Moura
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...