sábado, 26 de janeiro de 2013

Galopes III

Morena bonita de vestido lindo
Olhando o infinito pisando na areia
No teu infinito, olhar de sereia
Numa bela tarde as ondas ouvindo
E a bruma leve teus pés recobrindo
Que música suave do meu poemar
Jamais poderia a ti declarar
Em versos tão pobres, pobre sonhador
Que diga a beleza de todo esplendor
De tu colorindo as cores do mar

Esse teu vestido tão curto e bonito
Tu o enfeitavas mais que ele a ti
Da morna maresia que eu senti ali
O calor mais terno do Ser Infinito
A brisa da praia cumpria o seu rito
Pra bem de 'levinha' te acalentar
Num dia propício de sonhos sonhar
Os teus pés descalços sentindo a areia
Como a jangada que mar serpenteia
Te serpenteava's na beira do mar

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...