sábado, 5 de janeiro de 2013

De que vale um amor pra toda vida Se eu não posso amar a quem eu amo


Como a nuvem carregada de querer
Que o sopro de uma covardia
Faz reter toda água que havia
E não deixa a chuva acontecer
Não é fácil tentar lhe esquecer
Que no sonho da noite eu lhe chamo
No delírio do dia eu só reclamo
Meu querer desfilar na avenida
De que vale um amor pra toda vida
Se eu não posso amar a quem eu amo

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...