sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Breves

Falas pouco. Em pausas entrecortadas de silêncios,
Que nada dizem, porque silêncios.
Mas, que silêncios um tudo ou nada, dizem...

Como se a dor afugentasse, tão equivalente
Quanto se saciasse por senti-la, por sentir dela,
Um rescaldo qualquer de vida...

E um gesto, uma voz, abraço de quebrar costelas,
Trouxesse ainda esperança em mais vida,
Como se puxasse pelos cabelos, novamente...

E davam-se os diálogos....
Indagávamos mudos, ouvíamos surdos,
Respostas que nos puxassem, de novo, pelos cabelos.

Até os próximos não diálogos, Breves.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...