domingo, 27 de janeiro de 2013

Augusto dos Anjos, apaixonado.

Quadras

Embala-me em teus braços,
De amores bons à sombra -
Quero em cheirosa alfombra
Pousar os sonhos lassos!

Teus seios, oh! morena
- Relíquias de Carrara -
Têm a ambrosia rara
Da mais rara verbena.

Aperta-me em teu peito,
E dá-me assim, divina,
De lírios e bonina
Um veludíneo leito.

Assim como Jesus,
Eu quero o meu Calvário
- Anelo morrer vário
Dos braços teus na Cruz!

Por que não me confortas?!
Bem sei, perdeste a olência,
Morreu-te a redolência,
Alma das virgens mortas -

Mas não! Apaga os traços
De tão funéreo aspeito...
Aperta-me em teu peito,
Embala-me em teus braços!

Augusto dos Anjos, apaixonado.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...