quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Os garranchos da tua covardia Arranharam demais meu coração

Tuas juras forjadas já conheço
Não preciso das tuas falsidades
Tu não sabes falar boas verdades
E mentiras eu sei que não mereço
Nem tampouco servirei de adereço
Decorando tua sala de ilusão
Só querias viver uma emoção
No castelo fiel da poesia
Os garranchos da tua covardia
Arranharam demais meu coração

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...