terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Lamentos I

Não vida, não vou contra teus argumentos!
Se me privas assim de certa felicidade
Deves ter lá os teus motivos, ou lamentos
Para plantar sofrimento com tanta intensidade

Sei que te amei, e foi divino, de verdade
Mas, não pretendo colher desapontamentos
Que venham a ferir-me por toda imensidade
Depois de sufocares os nossos sentimentos

Antecipaste a morte do que mal nascera
Um sonho lindo de amor que acontecera
Enquanto éramos felizes sem nem saber

Corri então pro meu velho esconderijo
Pras letras gélidas das linhas que redijo
Sem esperar, para não te ver adormecer.

...Novamente.

Pedro Torres

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...