quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Galopes

Ali na cabana de alguns pescadores
Olhando a beleza do mato ao redor
Bonitas morenas queimadas de sol
Atentas lhe ouviam cantar seus amores
A brisa soprava com leves rumores
O pinho a gemer e depois a chorar
Aquelas morenas à luz do luar
Me dava a impressão que fossem sereias
Risonhas sentadas nas alvas areias
E ouvindo meus versos na beira do mar

Poeta Dimas Batista, falando da praia de Boa Viagem, em Recife.

A noite caindo, um céu estrelado
Fogueira acesa na beira da praia
Morenas vestindo tomara que caia
No carro tocando o rei Reginaldo
Cantando a vida do Reino Encantado
Onde todos são reis, naquele lugar
E até a lua, vem se encantar
Em dias de sonhos na Ilha querida
Deixando mais leves, os dias da vida
E amor mais doce na beira do mar

Da praia eu falo porque moro nela
Não vim porque quis eu fui obrigado
Deixei meu recanto, um lugar sagrado
Mas um dia eu volto para a cidadela
Que meu coração eu já deixei nela
Só falta o corpo daqui eu levar
Quem sabe alegria um dia encontrar
Que aqui não encontro e não há quem faça
Gostar de zoada e de ar de fumaça
Eu digo cantando da beira do mar

A brisa suave soprando lá fora.
Suave sedenta cheiinha de amores
Não diz do cenário dos breves rumores
Da dor mais doída, do peito que chora
Lágrimas caindo por dentro e por fora
Do fel que azeda o doce de amar
Da triste partida ao se viajar
Formando imagens na minha retina
Eu digo lembrando da minha menina
Cantando galopes na beira do mar

Não posso negar as minhas virtudes
Não guardo rancores, não faço vingança
Não perco a fé eu tenho esperança
Em tempos diversos por vezes tão rudes
Refaço meus versos mudo atitudes
E nos meus sonhos me pego a vagar
Tu bem pertinho pra gente se amar
Com as tuas pernas atadas as minhas
Eu digo fitando as águas marinhas
Sonhando contigo na beira do mar


Eu fui ao japão depois eu voltei
E lá decorei a fala cantada
Daquele povo a língua falada
Escrita rimada tudo eu decorei
Naquele abraço que eu te dei
Eu logo aprendi galope cantar
O que eu queria era só ganhar
Abraço apertado e beijo molhado
E nós rebolando felizes cantando
Fazendo poesias na beira do mar


Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...