terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Eclipse

Vem o sol depois da lua desfilar
Branca luz de amor, formosa e cheia
Dorme a graça, cai o brilho na teia,
Nasce o dia, a graça vai se deitar

O calor, que o sol no dia incendeia
Se aquieta, esperando ela voltar
Quando amorena-se a luz na candeia
Reflete na luz do brilho lunar

Assim se vão, vivendo a sorte elipse
Revezando-se no nascer do leste
De repente,  ela lhe faz companhia

Ambos passeiam na via celeste
E se encontram, no escuro do dia
Vivendo o amor unidos pelo eclipse.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...