quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

É a Rádio cultura nordestina O pulmão que dá vida a poesia

A Radio Cultura Nordestina Repentista me pediu umas estrofes no mote e fiz:

Repente de viola de montão
Um baião bem tocado pelo ar
É a rádio cultura a divulgar
A riqueza poética do sertão
Os poetas retratam nosso chão
Exaltando beleza todo o dia
E narrando com muita alegria
A Tiquinha na voz bem feminina
É a Rádio cultura nordestina 
O pulmão que dá vida a poesia

Em Belém nasceu Cristo Salvador
E a rádio não esquece de tocar
Conjugando mil formas de amar
Os poetas declamam Seu amor
Vê-se a luz do nosso Senhor
Ser cantada com muita alegria
Difundindo amor na melodia
Que só tem na época natalina
É a Rádio Cultura Nordestina 
O pulmão que dá vida a poesia

Oxigênio da cultura do sertão
Percorrendo nas veias internéticas
Boas doses de sílabas poéticas
Também fazem essa circulação
Se uma dor ferir seu coração
Mais amor a rádio irradia
Se corrente de amor nos contagia
Escutá-lo na rádio é a vacina
Que a Rádio Cultura Nordestina 
É pulmão que dá vida a poesia

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...