sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Contínuo

Tudo é beleza na alma do poeta
Dor e amor lhe servem à inspiração
Sua essência de pessoa inquieta
Rende a ele esta singela condição

Desde o despudor em ebulição
Até sua desventura mais secreta
Tudo isso em perfeita comunhão
Fundam sua poesia concreta

Mas, há qualquer coisa que lhe cabe
Que em seu íntimo poeta desabe
Algo que faz morada na su'alma

Um riso, um afago que lhe apraz
Dias perfeitos, quando a luz traz
Um tanto de ventura e lhe acalma

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...