terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Quero muito dizer que não lhe quero Mas não posso calar meu coração

No mote da poetisa Dayane Rocha nós dissemos:

Essa voz que aqui dentro me devora
Me lembrando pra eu não lhe esquecer
Grita tanto mandando eu ir beber
Uma dose do licor forte de amora
Mas, é fato: se beber 'roendo' chora
E não quero chorar por ilusão
Eu não sei qual dos dois tem a razão
Mas, você me pediu pra ser sincero
Quero muito dizer que não lhe quero
Mas não posso calar meu coração.

Tenho muito amor pra lhe dar (não nego!)
Mas, o meu viver hoje é de dor
Eu bem sei não demora e o amor
Acontece de novo e eu sossego
Sem correr eu não piso nenhum prego
Que só atrasa eu viver essa emoção
Desse jeito eu tento com razão
Esperar o amor que tanto espero
Quero muito dizer que não lhe quero
Mas não posso calar meu coração

Pedro Torres

Arquivei todo amor que recebi
Separei várias pastas de saudade
Cada pasta de amor tinha verdade
Na gaveta do tempo que esqueci
Logo em cima teu nome escrevi
Pra marcar a melhor recordação
Que o passado chegou, pediu perdão
Pra voltar dessa vez sendo sincero
E eu tento dizer que não te quero
Mas não posso calar meu coração.

Poetisa Mariana Véras

Me perguntam eu digo que é mentira
Chego até a ficar com a cara lisa
Imprimi seu retrato na camisa
Dessa roupa o seu rosto ninguém tira
Você quer provocar a minha ira
Ou tentar me acordar dessa ilusão
Perguntando se eu sofro é de paixão
Digo sim, pois mentira eu não tolero
E eu tento dizer que não te quero
Mas não posso calar meu coração.

Poetisa Dayane Rocha

Já não há dia certo e nem há hora
Não me deixa dormir, não há sossego
Todo dia vou e volto é um chamego
É assim desde que tu foste embora
A lembrança aqui dentro bate fora
Bate a porta, toda hora faz alarde
Bate e cobra sem dó e sem piedade
Mas eu nunca pensei fazer mudança
Todo dia eu recebo uma cobrança
Quando vejo o boleto, é da saudade

Poeta Cicinho Moura

Nos perdemos talvez por displicência,
E o que fomos, não somos hoje mais.
Mas o vento que leva também traz
Basta apenas nós termos paciência...
Que eu mesmo na minha consciência
Acredito demais nessa atração,
Que o amor faz pesquisas de intenção
Onde a margem de erro é quase zero
Quero muito dizer que não lhe quero
Mas não posso calar meu coração.

Poeta Dudu Morais

E da boca pra fora eu tudo falo
Que é pra ver se eu vou te esquecendo
Mas enquanto não vai acontecendo
Essa voz não tem grito e eu me calo
A verdade é que sinto muito abalo
Mas eu tento não da muita atenção
E eu vou procurando a direção
Que o caminho me siga e eu venero
E eu tento dizer que não te quero
Mas não posso calar meu coração.

Poeta Hélio Ferreira Lima
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...