quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A dor que mais dói na gente

A dor que mais dói na gente
Depois que um amor se finda
E lembrar que existe ainda
Um malassombro na mente
Esse fantasma displicente
Que insiste em nos rodear
Roubando todo nosso ar
Também roubando o riso
Vou-me embora, pois preciso
Dessa dor me exorcizar

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...