terça-feira, 6 de novembro de 2012

Um soneto prometido

Veja toda a beleza que há na flora
Quando a rama de amor no peito nasce
E se a semente que você plantou agora
Fosse amor e no peito então brotasse?

Cuida das flores do teu jardim lá fora
Que se a lagarta do amor te visitasse
Faria em ti o casulo, não iria embora.
(Da metamorfose: borboleta ela renasce!)

Não descuides, portanto, das raízes,
Se as queres bem floridas e felizes
Que o realista o que planta ele rega

O pessimista é fraco e não persiste
O otimista trabalha e não desiste
E o florir é fruto dessa entrega!

Pedro Torres

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...