sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Toda vez que eu voltar no pajeú

E a saudade da terrinha fez a poetisa Mariana Véras dizer:

Eu cacei no baú minha lembrança
Minhas tardes de chuva no terreiro
Conversava com vó o dia inteiro
No meu tempo inocente de criança
Já fiz arte, fiz raiva, fiz cobrança
Já vi rio secar no sol queimando
Vi enchente no rio transbordando
Guardo tudo de bom nesse baú
Toda vez que eu voltar no pajeú
Vou chorar de saudade me lembrando

Mariana Véras
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...