sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Posseiro sem terra


Eu comecei um movimento
Pra conquistar um terreno
Onde o clima fosse ameno.
Montei meu assentamento
E lhe fiz um juramento:
O meu amor nessa guerra
Reluta e não sai, emperra
Me arranchei no teu peito
De sair não tem mais jeito
Que sou posseiro sem terra.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...