segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Passa tudo na vida, tudo passa. Mas, nem tudo que passa a gente esquece

No mote da poetisa Das Neves Marinho eu disse:

Já no fim da estação das eras
Eu me lembro na vida, amores que eu tive
A angústia lenta, e a sorte de quem vive
E um porto bem seguro ao fim de longas esperas
Como rosas floridas em lindas primaveras
A lembrança que vem nunca envelhece
E o ocaso que o dia escurece
Um amor que no peito se embaraça
Passa tudo na vida, tudo passa,
Mas nem tudo que passa a gente esquece.

Um amor que se dá sem aluguel
Os momentos no tempo da bonança
O sorriso contente da criança
Em abraços exercendo o seu papel
Se provar do tempo o amargo e o mel
Saborear da vida o que merece
Matar a sede que no peito cresce
E só sacia quando um amor abraça
Passa tudo na vida, tudo passa,
Mas nem tudo que passa a gente esquece.

Nada fica senão boas lembranças
Dos momentos felizes que passamos
Mas, as mágoas se vão, se perdoamos
Prosseguindo no rumo das mudanças...
Passa a pele lisinha das crianças
Viram marcas pra alguém que amadurece
Mas, deixar de ser doce não carece
Que até mesmo uma uva vira passa
"Passa tudo na vida, tudo passa
Mas, nem tudo que passa a gente esquece."

Pedro Torres
Mote de Raimundo Asfora

E o poeta Cicinho Moura disse:

Foi você que não soube aproveitar
O que foi a você oferecido
Pois agora seu tempo tá perdido
E sem direito nenhum de reclamar
Mas, talvez eu inda possa repensar
E atender novamente a sua prece
Mas, não vou apoiar quem não merece
Pois você já mim fez uma trapaça
Passa tudo na vida, tudo passa,
Mas nem tudo que passa a gente esquece.

Poeta Cicinho Moura
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...