sexta-feira, 23 de novembro de 2012

O mundo não acaba fim do ano O mundo aqui acaba é todo dia

‘Chat’eando’ com o poeta Jessé Costa no Facebook com uma ideia de um mote a gente chegou a seguinte conclusão, e eu disse primeiro:

O MUNDO NÃO ACABA FIM DO ANO
O MUNDO AQUI ACABA É TODO DIA

Tanta gente tentando adivinhar
O dia em que o mundo expira
Vejo, mas parece uma mentira
De tão difícil de acreditar
Criança usa droga pra roubar
O mundo do crime lhe alicia
Na droga imunda se vicia
Sem forças, vive no desengano
O mundo não acaba fim do ano
O mundo aqui acaba é todo dia

Seca castigando meu nordeste
Os políticos fazendo sua 'arte'
Sertanejo faz logo sua parte
Vai buscar outro lugar que preste
Com mudas de pranto se reveste
Parte triste levando agonia
Vai vivendo sem ver a alegria
Viaja sem abençoar o mano
O mundo não acaba fim do ano
O mundo aqui acaba é todo dia

Pedro Torres

2 comentários:

  1. Que poema!!!
    Ele acabe e vamos nós tentando arrumar e refazê-lo.

    Bom demais o poema!
    Parabéns!
    E poesia com vários pensares é bom demais!
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Eu descobri a poesia concreta ainda criança, lá no sertão do Pajeú, lugar de minhas origens, mas comecei escrever há pouco tempo com mais frequência e to adorando.

    Versar sobre diversos assuntos é uma das características.

    R. Vieira, obrigado pela visita viu? Valeu!

    ResponderExcluir

Direito à Réplica Poética...