sexta-feira, 2 de novembro de 2012

O GPS da saudade

Cutuquei o poeta Dudu Morais no mote e ele disse:

Pra cada paixão errada
Um chip em mim lhe rastreia
E é o mesmo que norteia
Meus passos por esta estrada...
Quando chega a madrugada
Que eu fico sem direção?
Me mostra todo balcão
Menos minha cara-metade
“O GPS da saudade
Encontrou meu coração”

Como eu tava sem fazer nada eu disse:

Na sorte tracei a rota
Pra ser feliz no amor
Mas só encontrei a dor
No mapa da vida exposta
Precisão de nada importa
Que planejei com exatidão
Mas, fiquei sem direção
Bem na curva da vontade
O GPS da saudade
Encontrou meu coração

Procurei pra minha história
Encontrar o par perfeito
Mas um chip com defeito
Desviou-me da trajetória
Busquei ainda na memória
E, quase amei de verdade,
Mas, nada de cara-metade
Só localiza solidão
O GPS da saudade
Encontrou meu coração

Rastreei um amor perdido
Dentro do baú da era
Mas só achei paquera,
Ou um namoro perdido,
Que meu coração bandido
Distanciou-se da razão
E perdeu toda emoção
Pra minha infelicidade
O GPS da saudade
Encontrou meu coração


Depois de glosar no mote (O GPS da saudade // Encontrou meu coração) que me chegou apontado por um GPS desmantelado, uma pessoa muito especial indagou: 'Foi?'

Um verso pulou na veia cava, invadiu o coração e saiu pela boca, eu disse:

Tateei por um momento
Por entre estradas escuras
Procurei tantas procuras
Que decantei um lamento
Passei por muito sofrimento
Mas hoje estou apaixonado
E o teu tá bem guardado
No peito do cantador
Que o GPS do amor
Tá é muito calibrado


Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...