quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Novembro

Rasguem as nossas cartas de amor
As juras todas que nós dois trocamos
Os abraços todos que abraçamos
Tragam pro nosso peito toda a dor

Esvaziem-nos dos sonhos que sonhamos
Façam tudo com zelo e com primor
Não deixem vestígios desumanos
Como folhas sem pétalas de flor...

Removam-nos do cheiro que sentimos
Todos os risos que nós dois sorrimos
Não deixem nada em nós que nos aqueça

Matem-nos de vazio, e frio e solidão
Extirpem de nós dois o coração
Nada fará com que a gente se esqueça.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...