sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Eu te amo, te prezo, te venero, só a morte separa o nosso amor.

A poetisa Mariana Véras disse com perfeição:

- A pedido de papai, no mote de Dimas Batista eu fiz:

Eu não meço distância nem barreira
Preocupada não fico, te espero
Eu te sinto, te gosto e te quero
No país do amor és a bandeira
Na descida das águas, cachoeira
Derramando teu mel na minha flor
E fazendo teus olhos beija-flor
Pra tocar meu sorriso mais sincero
Eu te amo, te prezo, te venero
Nem a morte separa nosso amor²

Poetisa Mariana Véras

Amar-te de outro jeito eu não sei!
Não conheço existir outra maneira
Que vivermos amor a vida inteira.
Por estradas desertas eu caminhei
Bem na curva do caminho, te esperei
Decorando o cenário pra compor
O poema da vida do escritor.
Te esperei, esperarei, e 'inda' espero
Eu te amo, te prezo, te venero
Só a morte separa o nosso amor¹

Pedro Torres



Mote (modificado) dado ao poeta Dimas Batista quando cantava com o irmão o poeta Otacílio Batista em 1958 durante a gravação de cantoria de repente em Caruaru (O poeta autor do mote é desconhecido).



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...