sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Demora não?!

Ansioso, eu esperava sua chegada
E o tempo insistia em não andar
E a saudade parecia se alimentar
Das horas gordas dessa madrugada

Ouvia passos femininos na calçada
Arremessava-me à janela pra olhar
Mas, não era dela aquele caminhar
E o silêncio cortava-me feito espada

Minha fortaleza estava em ruína
Nada adiantava, nem a nicotina
Como fosse um relógio com defeito

Desses baratos, de feira, vagabundos...
Era como se as pancadas dos segundos
Derrubassem as paredes do meu peito.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...