sábado, 17 de novembro de 2012

Armaria

Bateu-me um aperreio no juízo
Por conta de saudade miziguenta
Eu aguento, e sei que ela aguenta
Feito um querer padecer no paraíso
Mas, a paz que eu tanto realizo
Está distante, em outra cidadela
E eu aqui, pendurado na janela
Torturado, já quase perdendo a calma
Porque cada pedacinho de minh'alma
Está gemendo sentindo saudade dela

Já to pensando numa rima para 'mormaços'
Pra depois que assassinarmos uma vontade
Trucidar, de uma vez toda a saudade
Que insiste em atrasar os nossos laços
Um emaranhado tão bonito de abraços
D'ela me abraçando e eu dando abraço nela
Sem dos abraços restar qualquer sequela
Só nas costelas, um pequenino trauma
Porque cada pedacinho de minh'alma
Está gemendo sentindo saudade dela

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...