quinta-feira, 29 de novembro de 2012

A estrada do amor que caminhas

Assim olhando quase ninguém vê
Muitos dos mistérios guardados
Obscurecidos, não revelados
Muitos não conseguem sequer ler
As frases imersas de um querer
Resguardadas pelas entrelinhas
Inclinada, porém, nestas linhas
A letra latente de um amor
Na face causando tanto rubor
A estrada do amor que caminhas

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...