quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Signos

Sob as estrelas do céu infinito
Quando me olhas eu me sinto exposto
Às luzes lindas que saltam do teu rosto
E tudo parece, mais vivo e bonito
Brota do peito, uma música, um grito
Não que não queira, não que não possa
Seremos o samba, faremos a bossa,
Assim, nunca mais nos sentiremos sós
E se os astros depuserem contra nós
A gente faz uma constelação só nossa.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...