domingo, 21 de outubro de 2012

Panos

No mote da poetisa Mariana Teles, eu disse:

Não há amor que eu me arrependa
De uma vírgula sequer do que amei;
Os farrapos dos sonhos que sonhei
São as tiras inconsúteis da fazenda
Que um dia, sem nódoas, sem emenda,
Enfeitou um palácio em minha mente
Mas a sorte cruel, inconsequente
Teceu planos diferentes no lugar
'Que um pedaço da alma quer chorar'
No caminho da volta de um repente

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...