terça-feira, 18 de setembro de 2012

Das Pedras

Ajuntei todas as pedras 
que vieram sobre mim. 
Levantei uma escada muito alta 
e no alto subi. 
Teci um tapete floreado 
e no sonho me perdi. 
Uma estrada, 
um leito, 
uma casa, 
um companheiro. 
Tudo de pedra. 
Entre pedras 
cresceu a minha poesia. 
Minha vida... 
Quebrando pedras 
e plantando flores. 
Entre pedras que me esmagavam 
Levantei a pedra rude 
dos meus versos.

Cora Coralina

A história de Cora Coralina é belíssima. Ela foi descoberta em Minas Gerais, por uma jornalista que estava fazendo uma matéria sobre trabalho em pedreiras.

Na pedreira que visitou encontrou uma senhora velhinha, martelando pedras. A repórter se interessou por aquela criatura pequenina e pediu para lhe entrevistar. Ela deixou de lado a marreta e convidou a jornalista para tomar um café em sua casa. Enquanto preparava o café, entregou a jornalista um caderno onde escrevia poesias.

A jornalista chorou, e matéria não mais foi escrita sobre o trabalho em pedreiras, mas acerca daquela criatura encantadora que quebrava "pedras".
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...