sábado, 17 de março de 2012

Almas nuas


É um teu olhar
De certa tristeza.
E um dia adiante
De rara beleza:

A cena noturna
No céu cristalino
Tarda matutino
Pelas noruegas...

E tudo dorme...

Acorda outro dia
E tão radiante
O teu ser criança
Embala poesia

Tempo de não tempo,
De amor tão distante.
Da saudade vazia...
Nosso contratempo.

Tão doces palavras
Dormindo ao relento
E acorda o poeta
A um sentimento.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...