terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Tem que gostar do sertão...

"Tem que gostar do sertão
Pra saber isso o que é..."


Rebôco, troço, poleiro
Arupenba e caitatau
Gamela, cocho, girau
Terra frouxa e taboleiro
Enxadeco, marmeleiro
Caçuá e jereré
Caco, enxada jacaré
Moinho e mão-de-pilão.

Carne-se-sol e moela
Passoca, queijo, qualhada
Sarapatel e buchada
Arroz-de-festa e costela
Pão, galinha cabidela
Farinha seca e café
Perua, frango, guiné
Tutano, osso e pirão.

Mancha, toca, carrocel
Eram diversões da gente
Chibata ou corrêa quente
A brincadeira do anel
Pipa voando no céu
Traque, rojão, buscapé
Brincávamos em São José
De ser polícia e ladrão.

Cancão, Dimas e Xudù
Catôta, Otacilio e Jó
Biu, Antonio Piancó
E Louro do Pajeú
Sobrinho, Zezé Lulú
Patativa do Assaré
Marinho de São José
Milanês e Mergulhão.

Missa, novena e reizado
Terço, rosário, sequência
Reza, bendito, exelência
Promessa e santo roubado.
Pau-de-arara lotado
De gente pra Canidé
E os romeiros a pé
De Padre Cícero Romão.

Com muita saudade de todos,

Poeta Brás Costa.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...